• gilspcompany4

Um espaço para o Empreendedorismo

Lucas Machado


Você já deve ter ouvido falar sobre empreendedorismo, certo? Uma das palavras mais usadas para definir novos negócios tem origem francesa e começou a ser incorporada para designar aquele que cria algo.


Provavelmente a definição mais falada é “abrir a própria empresa”, entretanto isso vai muito além dessa percepção. Por isso é importante saber o que é ser um empreendedor, ou empreendedora, para desenvolver algo sólido e com rentabilidade. Mas, onde abrir e como funcionaria um espaço para esse tipo de trabalho? Há duas formas na qual um fundador de uma empresa pode trabalhar: tendo um escritório próprio ou compartilhando espaços utilizando o coworking.


Desde que o mundo começou a funcionar por meio de ideias de trabalho – criação de empresas ou projetos para melhoria da sociedade – a habilidade de empreender ficou em evidência. Empreendedorismo é a ação de quem consegue identificar um problema e criar, por meio de uma lógica, uma oportunidade de resolução. Além disso, quem é empreendedor sabe analisar os riscos, planejar com atenção os projetos futuros e sempre está disposto a investir recursos para desenvolver algo à uma outra empresa ou para clientes exclusivos. Escolher o local do trabalho e como irá funcionar também é uma característica de um empreendedor.


Neste mundo de inovação, um dos negócios que chamam atenção são as startups. Elas são, na maioria das vezes, empresas de tecnologias que oferecem aos clientes soluções inovadoras e que precisam trabalhar de forma repetível e escalável, ou seja, que consiga lucrar rápido e que tenham custos aumentando devagar. Essa forma de empreender trouxe a discussão como essas micro ou pequenas empresas se consolidariam e em que espaço físico elas poderiam estar presentes.

Com um capital baixo, alguns destes empreendimentos decidem trabalhar em um prédio ou lugar que ofereça o serviço de coworking ou disposição de espaços compartilhados. Essa opção de trabalho dá para os empreendedores a facilidade de terem um lugar, como um escritório, com custos baixos, sem a preocupação com contas de água, luz ou internet. É trabalhar em um local que ofereça um ambiente, seja ele pequeno ou grande, na qual você possa compartilhar com outras empresas ou segmentos o seu modelo de negócio, criando uma rede de network e aproximação com novas parcerias.


Apresentando todas essas vantagens hoje, já se vê, também, a migração de empresas já consolidadas no mercado, mas que gostariam de diminuir os custos da companhia optando por deixar de lado um espaço próprio para ocupar algo mais compacto e com despesas baixas. Segundo o censo 2018 da Coworking Brasil, cerca de 1.194 lugares foram procurados para terem espaços de trabalho alugados e 214 mil pessoas circulando entre eles. Há, por exemplo, em um prédio de coworking empresas de TI, engenharia, advocacia e até biotecnologia, todas trabalhando em áreas de atuação distintas e compartilhando o mesmo lugar.


O coworking, assim como tantos outros negócios, é um empreendimento. Frisando oferecer aos clientes espaços planejados e confortáveis, esse novo conceito de trabalho está em evidência por ser prático e entregar o mesmo resultado de uma empresa com uma sede particular.


O empreendedorismo está em todo o lugar. Compartilhar e dividir espaços apresenta opções para que um trabalho seja rentável e ao mesmo tempo eficaz na estrutura do negócio. Se a palavra empreender está moda, a do coworking será a do futuro.



2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo